João Moreira Salles

Quais as possibilidades do jornalismo investigativo hoje e qual o seu lugar? Uma boa pergunta no contexto de crise da mídia impressa e predominância da lógica econômica na produção de conteúdo. Quando feita a João Moreira Salles, o documentarista e fundador da revista Piauí responde contrapondo o custo e o trabalho dispendidos no jornalismo investigativo ao fenômeno das content farms, expressão máxima do conteúdo produzido a toque de caixa. Redações tradicionais, com seus correspondes internacionais e longas apurações, perdem espaço na atual conjuntura; fenômeno sem solução aparente. No entanto, o surgimento de iniciativas de ‘mecenato’, como o Pró-publica, do jornalismo independente, e iniciativas civis de interesse público chamam a atenção de Salles — mais como fenômenos que como tábua de salvação do jornalismo investigativo que conhecemos durante o século XX, sobre cujo destino só podemos especular. Na entrevista que se segue,ele fala sobre a influência do trabalho de repórteres clássicos, como Truman Capote, em sua produção documental e aponta os problemas e possíveis rumos da produção jornalística contemporâneas.

João Moreira Salles from Abraji on Vimeo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: