Arquivos do Blog

Primeiras impressões

Por Jessica Mota (2º ano/Mackenzie)

Ana Claudia Costa, Marcelo Gomes e Cassio Bruno vieram do Rio para aprender e aprimorar técnicas jornalísticas

Eram oito horas quando os participantes começaram a chegar para o credenciamento. São quase 600 inscritos,  muitos deles vieram de outros estados. É o caso de Luisa Pinheiro e Marília Labes, ambas de 19, que chegaram com um grupo de 25 alunos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Depois de 16 horas de viagem, as duas têm grande expectativa em relação ao Congresso. “Foi difícil escolher as palestras”, diz Marília. Larissa Cabral, 23, da UFSC, também está animada com os debates. Para ela, que está pela primeira vez no Congresso, os temas das palestras são bastante relevantes.
Anna Carolina Pinheiro, 21, gostou tanto do Congresso ano passado, que resolveu repetir. Ela veio de Itu, interior de São Paulo. Ela destaca, da experiência anterior, as novas técnicas e novas fontes que conheceu. “Espero que este ano seja ainda melhor”, fala Anna.
Do Rio de Janeiro, Marcelo Gomes, 29, jornalista do “Extra”, também espera aprender mais ferramentas para desenvolver melhor seu trabalho jornalístico. Ele achou interessante o curso de Introdução à RAC (Reportagem com Auxílio do Computador), ministrado pelo jornalista José Roberto de Toledo (“O Estado de S. Paulo”/”Rede TV”/Abraji). Sua colega, do jornal “O Globo”,  Ana Claudia Costa, 42, veio para conhecer mais sobre termos e outros aspectos do direito no curso Introdução ao Direito para jornalistas, ministrado por Roberto Livianu (MPD).
Brenda Brandão, 30, e Ana Paula Botticchia, 20, vieram de Brasília para participarem pela primeira vez do Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo. Elas elogiaram a qualidade do trabalho dos palestrantes e também a organização do evento.

Anúncios